Decifra-me…

Publicado: 28 maio, 2008 em Contos, histórias e afins
Tags:

Estava eu tomando meu banho, quando resolvi olhar para o frasco do condicionador que estava em cima do vitro do banheiro e me deparei com o seguinte poema:

Quero estar ligada
numa conexão rápida
a milhões de bytes por segundo.
Eu, você, o mundo,
via Web ou estrada de terra,
num esforço sem fronteiras.
E que parta como um grito:
das origens mais profundas
em direção à tribo distante,
localizada no extremo sul
daquilo que acredito.

Se alguém conseguir enter o que o poeta quis expressar em tamanha magnitude num frasco de condicionar, peço encarecidamente que me contem, eu não entendi lhufas.

Não esquecendo de se pegar no detalhe das palavras destacadas.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s