TC00510Sinopse: Yang Lu Chan (Yuan Xiaochao) ao leito de morte de sua mãe (Qi Shu), lhe promete que se tornará um grande lutador de Tai Chi e é entregue aos cuidados do mestre Zhao Ping Kan (Fung Hak-On), após 10 anos da morte de sua mãe o médico Dong (Siu-Lung Leung) lhe alerta que as técnicas ensinadas por seu mestre está consumindo sua energia e para não morrer será necessário aprender as técnicas de Tai Chi Chen.

Ao chegar ao vilarejo de Chen, Yang se depara com 2 problemas, a técnica não é ensinada as forasterios e a eminente ameaça de Fang Zijing (Eddie Peng) que quer trazer a modernidade e a ferrovia para dentro do vilareje, ansiando o reconhecimento que nunca teve entre os aldeões e líderes.

Yang passa a ter que lutar para converver Chen Yunia (Angelababy) a filha do grande mestre Chen Chang Xing (Tony Leung Ka Fai) e evitar que com a destruição da vila os ensinamentos Chen sejam perdidos

Resenha: O filme traz dois elementos ao qual admiro bastante, lutas marcias e a ficção steampunk,  além de carregar elementos dos quadrinhos e video game. Prendendo totalmente minha atenção, o que não me deixou perceber que já havia trancorrido os 98 minutos de duração.

(In)Felizmente o filme é não tem um final, terminando a jornada de Yang na metade e tranformando obrigatório assistir a continuação Tai Chi Hero (que não consegui ver ainda).

Microwave MassacreSinopse: Donald (Jackie Vernon) um cinquentão que trabalha de operário da construção civil que está desanimado com o casamento e cansado das péssimas comidas elaboradas por usa esposa May (Claire Ginsberg).

Após um dia de bebedeir e mais uma prato de comida abominável à lhe esperar para o jantar, Donald acaba perdendo a cabeça e matando sua esposa e a cosinhando no microondas. Na noite seguinte ao procurar algo para comer pega por engano um pedaço da falecida esposa e acaba descobrindo um sabor inigualável, ao qual acaba compartilhando com seu desinformados amigos de trabalho Roosevelt (Loren Schein) e Philip (Al Troupe).

Resenha: Filme de terror trash de 1983 com a temática voltada para a libertação da vida tediosa e do casamento infeliz em que o protagonista se encontrava, e o redescobrimento de sua sexualidade ao  simplesmente imaginar como faria para comer (literalmente) as não tão donzelas.

Como não poderia de faltar num filme trash, existem cenas de desmembramento, jorros de sangue e canibalismo, se você é fã deste estilo de o play no vídeo e assista ao filme completo (legendado).

FrankSinopse: Victor Frankenstein (Charlie Tahan) um jovem aspirante a cineasta e empolgado com a arte da ciências tem como seu melhor (e único) amigo seu cão Sparky.

Para atender os desejos do pai, Victor resolve praticar beisebol e ao acertar a  tacada vê Sparky sendo atropelado enquanto buscava a bola. Desconsolado pela perda de seu amigo encontra nas aulas do Sr. Rzykruski (Martin Landau) a maneira de traze-lô de volta à vida.

Review: Inspirado no clássico da literatura Frankenstein de Mary Shelley e baseado no curta homônimo de 1984 de própria autoria, Tim Burton traz uma história comcomovente entre uma criança e seu cão, com uma fotografia toda em preto e branco e exibindo com perfeição sua paixão pelo stop motion.

Diferente de outras obras que envolvem crianças dentro do ambiente escolar, em Frankenweenie as crianças não se veêm com desigualdade, sem valentões ou C.D.F’s e são apenas crianças, deixando a descriminação para cima do tutor de ciências Sr. Rzykruski que é descriminado pelos pais e prefeito da cidade por sempre atualizar seu conhecimento e repassar para seus alunos.

Apesar de ser suspeito em falar das obras de Tim Burton esse com certeza merece um espaço na estante, espero que a Disney capriche na edição que lançarem no Brasil, pois esse filme merece uma edição especial, principalmente se vier com a miniatura do Sparky para fazer companhia ao Milú.

tintimO famoso repórter investigativo Tintim (Jamie Bell) e seu cão Milú passam a ser perseguidos após adquirir uma minitura do lendário navio Licorne.

Em meio as fugas e investigações Tintim se depara com o alcóolatra e depressivo Capitão Haddock (Andy Serkis) e a lenda do tesouro de seus antepassados. Com bastante inteligência e trapalhadas o trio vai tentar resolver os segredos do Licorne antes do vilão Sakharine (Daniel Craig).

Produzido por Steven Spielberg (Cavalo de Guerra) e produzido por Peter Jackson (O Hobbit), o filme consegue manter a essência dos quadrinhos criados pelo belga Hergé em 1929 com a novela investigativa e com um humor inocente sem deixar de incluir os desatrados detetives Dupond e Dupont.

Tempo:

  • 107Minutos

Formato da tela:

  • 2.35:1

Extras:

  • Brindando Tintim: Parte I
  • A Jornada de Tintim
  • O mundo de Tintim: A série em quadrinhos chega às telas de cinema
  • Quem é quem em Tintim
  • A criação de Tintim
  • No volume
  • Animação de Tintim
  • Snowy: Do começo ao fim
  • A trilha sononora
  • Tintim de coleção
  • Brindando Tintim: Parte II

Áudio:

  • Inglês – 7.1 DTS-HD MA
  • Inglês – 5.1 Dolby Digital
  • Português Brasil – 5.1 DTS-HD MA

Legendas:

  • Português Brasil
  • Inglês

Apesar de não existir mais a versão do vídeo ainda é um filme que deve ser adicionada na coleção de filmes, clique aqui para adquirir o filme em Blu-ray 3D, aqui para o Blu-ray em 2D e aqui em DVD

Os números de 2012

Publicado: 1 janeiro, 2013 em Sem-categoria

Os duendes de estatísticas do WordPress.com prepararam um relatório para o ano de 2012 deste blog.

Aqui está um resumo:

4,329 films were submitted to the 2012 Cannes Film Festival. This blog had 32.000 views in 2012. If each view were a film, this blog would power 7 Film Festivals

Clique aqui para ver o relatório completo

WarTropas posicionadas, objetivos em vista, chegou a hora do inevitável… Com suas espadas e machados empunho a guerra por territórios tem início, é uma guerra levada as últimas conseqüências. Não tem como voltar atrás, alianças são formadas e a ajuda dos Deuses são constantemente requisitadas.

Sim povo… consegui jogar finalmente o War – Batalhas Mitológicas (Ok-  foi à um mês atrás), ao qual já citei aqui anteriormente.

Como todo bom jogo da linha (não sei o de cartas, alguém já jogou? ) War Batalhas Mitológicas também exige uma estratégia um tanto quanto maqueavélica para que seja possível cumprir os seus objetivos de forma que ninguém descubra seu real interesse em cada ataque realizado, mas nesta versão tem 3 coisas que faz você rever constantemente suas estratégias:

  • Figuras Mitológicas: As figuras mitológicas transformam o que seria uma fácil conquista em uma tremenda barbárie, onde com uma única figura em um território lhe dá os poderes de lançar 4 dados, sendo 3d6 (3 dados de 6 faces) e o dados especiasl 1d8 (1 dado de 8 faces) o que lhe garante um boa vantagem sobre o inimigo.
  • Deuses: Para contrabalancear este massacre que acontece no momento que estas criaturas entram em jogo (ou mesmo antes) você pode recorrer a ajuda dos Deuses ao qual você consegue gastando as fichas de devoção, e é aqui que mora o perigo e toda a estratégia do jogo, uma vez que cada divindade só pode ser convocada 1 vez por ataque e a quantidade de fichas que um jogador pode ter em mão é de no máximo 8, o que significa que não dá para ficar esbanjando as invocaçõesa e também não adianta ficar guardando por tempo demais. Além de obrigar os jogadores a tentar manter os seus territórios que possuem um templo ou um monte, o que determina quantas fichas de devoção ele vai receber no início da próxima rodada.
  • Troca de cartas: Diferente das regras tradicionais do war que você necessariament precisa ter 3 cartas com símbolos iguais ou 3 diferentes obedecendo uma tabela gradativa para todos da mesa, já no Batalhas Mitológicas você obrigatoriamente precisa ter cartas com o mesmo símbolo e a combinação pode ser feita com 2, 3 ou 4 cartas só mudando a quantidade de guerreiros para 4,7 ou 11, respectivamente.

Com estas regras (apesar de inicialmente meio confusas e exigindo um pouco de adaptação do grupo) o jogo ganha uma emoção extra a cada rodada e com batalhas quase  nunca definidas pela primeira rolagem de dados, realmente é diversão garantida entre amigos e familiares por umas boas horas.

Infelizmente, esse que vos escreve, ainda não sentiu o gostinho da vitória nestes campos de batalha, mas a guerra apenas começou e não me darei por vencido.

Depois de tanta espera a aclamada loja Amazon começa a fincar seus pés no Brasil, começando pela venda de livros digitais e já anunciando seu dispositivo de leitura de e-Books Kindle por apenas R$299,00.

Ao vasculhar seu acervo encontramos livros clássicos da literatura e as “novidades” de sucesso como As Crôncias de Gelo e Foco e a Trilogia Cinquenta Tons de Cinza.

A empresa é conhecidad por seu excelente atendimento e bons preços, o que espero que consiga fazê-los pelas terras tupiniquins, mas pela rápida analisada deparei com preços iguais ou muito próximos dos já encontrados nas já conhecidas Livraria Saraiva e Submarino.

Espero que conforme a empresa comece a ganhar reconhecimento consiga trazer uma concorrência estre as empresas de e-Commerce e não se torne apenas mais uma em meio as já existentes.

De qualquer forma, bem-vinda Amazon Brasil